Redes Sociais

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Mais energia



Belo Monte inicia geração comercial de energia

Divulgação / Governo 
 Belo Monte: segundo a Norte Energia, a primeira turbina a gerar energia comercialmente, no Sítio Belo Monte, está instalada na casa de força principal do empreendimento

Brasília - A Usina Hidrelétrica Belo Monte iniciou a geração comercial de energia, nesta quarta-feira (20), com a entrada em operação da primeira máquina, que adiciona mais 611,11 MW ao Sistema Interligado Nacional, informou, em comunicado, a Norte Energia, empresa concessionária da usina.

Segundo a Norte Energia, a primeira turbina a gerar energia comercialmente, no Sítio Belo Monte, está instalada na casa de força principal do empreendimento.

“Lá, estão em fase de montagem outras 17 unidades geradoras, que serão concluídas e acionadas, gradativamente, até 2019. Também foram iniciados os testes para geração comercial da primeira turbina no Sítio Pimental, onde está o vertedouro e a barragem principal da usina. Na casa de força complementar, serão seis turbinas do tipo bulbo, cada uma com potência de 38,8 MW”, diz o comunicado.

De acordo com a empresa concessionária, as obras de Belo Monte estão praticamente concluídas e os trabalhos de montagem eletromecânica continuam no empreendimento.
A previsão é que a cada dois meses, em média, seja ativada uma nova turbina até o pleno funcionamento da hidrelétrica, em 2019.

“Belo Monte terá capacidade instalada de 11.233,1 MW, dos quais 11 mil MW na casa de força principal e 233,1 MW na casa de força complementar.

A usina vai gerar para as distribuidoras que compraram energia no leilão de 2010, atendendo assim a 60 milhões de pessoas em 17 estados do Brasil”, diz a nota da Norte Energia.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Experimente




Quanto tempo de estudo é preciso para ser fluente em inglês?

 Especialista explica quantas horas são necessárias para dominar o idioma. Conheça fatores que influenciam no seu aprendizado! 






Por Lígia Crispino, fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas e da ProfCerto - Editado por Claudia Gasparini, de EXAME.com
Quanto tempo é necessário até atingir a fluência em inglês? Essa é uma dúvida muito comum – cuja resposta, infelizmente, não é simples. Não basta apenas dizer um número determinado de Guided Learning Hours(GLH), ou seja, número de horas de aula que alunos têm sob a orientação de um professor.

Existem outros fatores que alteram o tempo necessário para chegar a esse objetivo, tais como:

1) Nível atual do aluno, ou seja, o seu ponto de partida.
2) Carga horária semanal de aulas.
3) Estudo extraclasse para consolidação do que é visto nas aulas.
4) Ritmo de aprendizagem do aluno, se tem facilidade ou não para aprender um idioma estrangeiro.
5) Metodologia, pois algumas delas trabalham com tradução e isso dificulta mais.
6) Qualidade das aulas (professor e materiais).
7) Número de colegas. Quanto maior a quantidade de alunos, menor será a prática oral observada individualmente pelo professor.

Uma escola que promete levar o aluno ao nível avançado precisa oferecer um curso completo com aproximadamente 800 horas (GLH).

Algumas pessoas dizem que já estão estudando há 2 anos e não atingiram fluência. Mas quantas horas realmente foram dedicadas ao inglês nesse período? Basta fazer as contas. Se o aluno fizer 2 horas semanais e não faltar a nenhuma aula, por exemplo, ele terá tido 192 horas de GLHs.

Para definir o nível de proficiência de uma pessoa é fundamental usar uma régua oficial como o Common European Framework of Reference (CEFR). Veja a seguir:

A1 – Iniciante (até 80-100 horas)
Pode entender e usar expressões familiares do dia a dia, bem como frases básicas direcionadas a satisfazer necessidades concretas. Pode se apresentar e responder a perguntas sobre detalhes de sua vida pessoal, biografia simples, como: onde vive, pessoas que conhece ou coisas que possui. Pode, eventualmente, interagir de maneira simples com nativos desde que eles falem pausadamente, de maneira clara, e que estejam dispostos a ajudar.

A2 – Básico (até 180-200 horas)
Pode entender frases e expressões relacionadas a suas áreas familiares, como informações pessoais e familiares básicas, compras, geografia local, emprego. Pode se comunicar de maneira simples em situações familiares que requeiram troca de informações curtas e precisas. Pode descrever de maneira superficial aspectos sobre seus conhecimentos, ambiente onde vive e necessidades imediatas.

B1 – Intermediário  (até 350-400 horas)
Pode entender os pontos principais sobre assuntos do dia a dia, como: trabalho, escola e lazer. Pode lidar com situações cotidianas de turismo no país onde a língua é falada. Pode produzir textos simples sobre áreas familiares e de interesse. Pode ainda descrever experiências, eventos, sonhos, desejos e ambições. Além disso, pode ainda opinar de maneira limitada sobre planos e discussões.

B2 – Usuário Independente (até 550-600 horas)
É capaz de entender ideias principais de textos complexos que tratem de temas tanto concretos como abstratos, inclusive textos de caráter técnico se forem de sua área de atuação. Pode interagir com falantes nativos com um grau suficiente de fluência e naturalidade de forma que a comunicação ocorra sem esforço por parte de nenhum dos interlocutores. Pode produzir textos claros e detalhados sobre temas diversos, assim como defender um ponto de vista sobre temas gerais, indicando vantagens e desvantagens das várias opções.

C1 – Proficiência eficaz (até 750-800 horas)
É capaz de compreender uma ampla variedade de textos extensos e com certo nível de exigência, assim como reconhecer sentidos e ideias implícitas. Sabe expressar-se de forma fluente e espontânea sem fazer muito esforço para encontrar uma palavra ou expressão adequada. Pode fazer uso efetivo do idioma para fins sociais, acadêmicos e profissionais. pode produzir textos claros, bem estruturados e detalhados sobre temas de certa complexidade, mostrando uso correto dos mecanismos de organização, articulação e coesão do texto. Capaz de entender por completo um filme sem legendas.

c2 – Domínio pleno (até 1.000-1.200)
É capaz de compreender com facilidade praticamente tudo que ouve e lê. Sabe reconstruir a informação e os argumentos procedentes de diversas fontes, seja em língua falada ou escrita, e apresentá-los de maneira coerente e resumida. Pode expressar-se espontaneamente com grande fluência e com um grau de precisão que lhe permita diferenciar pequenas nuances de significado, inclusive em situações de maior complexidade.

Os livros didáticos usam essa nomenclatura há alguns anos. Também é melhor usá-la para definir o seu nível de inglês no CV.

Este texto foi originalmente publicado em Exame.com

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Não ao golpe



Dilma vai governar por mais três anos, diz governador em exercício do Rio
  • 08/04/2016 21h36
  • Rio de Janeiro
Vladimir Platonow - Repórter da Agência Brasil




 A presidenta Dilma Rouseff e o governador em exercício Francisco Dornelles entregam no Rio mil imóveis do programa Minha Casa, Minha Vida nos condomínios Mikonos e Santorini, em Santa CruzFernando Frazão/Agência Brasil


O governador em exercício do Rio, Francisco Dornelles, declarou nesta sexta-feira (8) que a presidenta Dilma Rousseff vai governar o país pelos próximos três anos. Filiado ao PP, ele participou, ao lado dela, da entrega de mil apartamentos do programa Minha Casa, Minha Vida.

“Os gastos do governo com os programas sociais hoje atingem um patamar jamais visto em outros países do mundo. Espero, senhora presidenta, que nos próximos três anos sua excelência esteja aí, firme, inaugurando outros dois milhões de casas. Vamos comemorar esses três anos que faltam com seis milhões de casas populares [no total], discursou Dornelles, sendo muito aplaudido pelo público.

Ele está substituindo no cargo o governador Luiz Fernando Pezão, que está licenciado do cargo por 30 dias para tratamento de saúde. Os apartamentos entregues ficam no bairro de Santa Cruz, na zona oeste, com 44 metros quadrados, em um investimento de R$ 59 milhões.

Os contemplados acompanharam o evento e ao fim puderam receber as chaves do imóvel. A auxiliar de serviços gerais Joana Darc da Silva Matos foi uma das beneficiadas. “Muda tudo na minha vida. Antes, trabalhava para pagar aluguel. Agora, vou pagar uma coisa que é minha”, afirmou Joana Darc, que ganha cerca de R$ 900 de salário e pagava R$ 450 de aluguel.

O casal Milene de França de Souza, agente de saúde, e Edson Valverde de Souza, pedreiro, comemoraram a conquista do novo imóvel. “É uma nova etapa, uma nova vida”, disse Milene. Antes, eles e os três filhos moravam de favor no terreno de uma tia, em uma casa de apenas um quarto.

“Se não fosse este governo, eu não estava estudando nem teríamos nossa nova casa”, acrescentou Milene, que cursa farmácia em uma universidade particular, por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que financia o pagamento dos estudos a pessoas de baixa renda.

Edição: Armando Cardoso