Redes Sociais

domingo, 24 de julho de 2016

Aprenda outra língua




Aprenda inglês e outras 10 línguas nestes cursos online e gratuitos

 Abra seus horizontes ao aprender uma nova língua com um clique - e sem pagar nada!
Por Camila Pati, da Exame.com


Quem quer praticar ou mesmo se aventurar nos primeiros fonemas de um novo idioma encontra vasto material online e gratuito pela internet. De aplicativos  já bastante populares como o Duolingo – com cursos em português para quem quer aprender inglês, francês , espanhol ou alemão – a sites de universidades, passando  por  plataformas de cursos online, o conhecimento se faz disponível para quem se interessar.

Conteúdos gratuitos para iniciantes são mais fáceis de encontrar, mas há cursos para quem já tem nível intermediário e avançado idiomas como inglês, francês, alemão, entre outros. É claro que conquistar fluência estudando só pela internet é difícil, mas não é impossível com as ferramentas certas e atitudes recomendadas pella neurociência.
Aliás, aprender inglês é o primeiro passo rumo a um vasto universo para conhecer mais sobre outros idiomas já que há uma série de cursos gratuitos de línguas oferecidos por instituições e sites em inglês, como é o caso de alguns desta lista. Confira abaixo as opções que selecionamos para cada idioma.

Inglês
#1 Com um método que usa a gamificação, o Duolingo tem mais de 120 milhões de usuários pelo mundo. É possível escolher o tempo de dedicação para o aprendizado e o conteúdo em português facilita bastante para quem ainda está no estágio inicial e quer começar o curso básico. Além do inglês, oferece cursos de mais 18 idiomas. Inglês, francês, espanhol e alemão são as línguas mais populares entre os 194 países em o Duolingo está presente, segundo pesquisa recente.

#2 A BBC há décadas fornece e divulga globalmente material para quem quer aprender inglês. A plataforma Learning English tem cursos desde o nível intermediário (baixo) a avançado e há novos conteúdos publicados diariamente.

#3 A plataforma MOOEC (The Massive Open Online English Course), lançada pela organização educacional australiana sem fins lucrativos, International Educational Services, em 2013, também oferece uma série de cursos de inglês para todos os níveis, elaborados por universidades.

#4 Para quem está buscando aperfeiçoar a pronúncia do inglês estadunidense, a Carnegie Mellon oferece gratuitamente um curso para este fim, com conteúdo bastante detalhado.

Francês
#1 O site Bonjour de France, que promove a francofonia e se apresenta como cyber-revista, oferece exercícios, testes e jogos para quem quer aprender francês. Professores também encontram material de apoio. Não tem muito conteúdo em português, mas algumas partes do site foram traduzidas na versão hospedada no Brasil.

#2 Para quem já fala inglês e quem aprender francês, a Carnegie Mellon tem um curso de língua e cultura oferecido em dois módulos de 15 semanas cada um. Há vídeos produzidos na França e também na província canadense de Quebéc. Exige uma dedicação de 6 a 8 horas por semana.

#3 A rede francesa TV5 Monde também oferece conteúdos multimídia para alunos de nível iniciante a avançado e professores de francês. Ainda não foi traduzido em português, mas, além da francesa, há versões em inglês, alemão e espanhol, por exemplo.

Espanhol
#1 A Carnegie Mellon University também por meio da Open Learning Initiative tem um curso de espanhol completo de graça, mas o conteúdo é inglês. O material em vídeo foi produzido no México.

#2 A Open University oferece um curso de 20 horas para iniciantes com foco em como se comunicar em uma cidade de língua espanhola. Descrever lugares, entender direções, usar o transporte público estão entre os temas.

#3 O site Espanhol Grátis tem bastante material e é todo em português, mas seu conteúdo é apenas escrito.

#4 Com uma interface mais amigável e moderna do que o anterior, o site Bom Espanhol também tem conteúdos gratuitos e em português para nível básico e intermediário.

Alemão
#1 A rede Deutsche Welle oferece cursos de nível básico a avançado e o aluno escolhe pode estudar pelo computador, com vídeos, áudios e podcasts ou imprimindo textos e exercícios. O material pode ser usado por professores como apoio de suas aulas.

#2 O site e aplicativo Busuu tem 50 milhões de usuários oferece curso gratuito de alemão e outros 11 idiomas com opções de exercícios, conversação e testes de conhecimento.

Italiano
#1 A Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP oferece o curso de italiano para brasileiros, elaborado pelo Programa de Pós-Graduação em Língua, Literatura e Cultura Italianas. São 16 lições, com vídeos, entrevistas e exercícios voltadas para quem está começando.

#2 O site Italiano na web pode servir de apoio para quem quer reforçar o estudo da gramática do italiano. Além de tópicos gramaticais, há listas de palavras, expressões e provérbios em italiano.

Japonês
A rádio NHK World, emissora pública do Japão, oferece um curso de japonês com histórias em áudio que ajudam a aprendem gramática básica e expressões úteis da língua. São 48 lições e também há bastante material de apoio. O material didático está todo em português.

Árabe
#1 O podcast Arabicpod oferece gratuitamente aulas de árabe para iniciantes, mas o conteúdo é em inglês. São mais de 260 podcastscom lições do nível básico que ensinam como usar algumas expressões da língua.

#2 O site Aprender Árabe pode ser utilizado como material de apoio para estudo da gramática. Tem o alfabeto, ortografia, substantivos, adjetivos, verbos, pronomes, números, meses e dias da semana.

Chinês
A Universidade de Cambridge oferece um curso básico de chinês, útil para quem precisa aprender algumas expressões funcionais para se comunicar em uma viagem à China, por exemplo. O conteúdo é inglês.

Russo
No mesmo molde que o curso de chinês, a Universidade de Cambridge também oferece aulas (em inglês) de russo para quem é do nível básico. São oito seções com conteúdos de linguagem oral e escrita.Alfabeto, números, apresentação pessoal, as horas e as datas fazem parte das primeiras lições.

Hebraico
O Hebrew Pod 101, em inglês, tem bastante conteúdo para interessados em aprender hebraico. São centenas de aulas em vídeo, cartões de vocabulário e material escrito de apoio às aulas em pdf para baixar. Para ver as aulas basta criar uma conta sem pagar nada ou entrar usando o login do Facebook.

Libras (Língua Brasileira dos Sinais)
O Prime Cursos oferece um  curso introdutório gratuito que apresenta a estrutura linguística daLIBRAS, que é a linguagem de sinais usada no Brasil. Construção de sentenças, processo de formação de palavras e conteúdos da gramática estão entre os tópicos das aulas.

Esta matéria foi originalmente publicada na Exame.com


domingo, 17 de julho de 2016

A indústria reagindo



Confiança da indústria cresce pelo terceiro mês consecutivo
  • 15/07/2016 14h48
  • Brasília
Mariana Branco – Repórter da Agência Brasil





 
A confiança dos empresários industriais cresceu em julho, revela pesquisa divulgada hoje (15) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice de confiança do setor ficou em 47,3 pontos neste mês, o que representa alta de 1,6 ponto em relação a junho.

É terceiro mês consecutivo em que o indicador cresce, acumulando aumento de 10,5 pontos. Além disso, na comparação com julho de 2015, a confiança dos empresários da indústria cresceu 10,1 pontos.

Apesar do desempenho, o índice segue abaixo da linha divisória de 50 pontos. Quando o indicador está acima desse número, significa que os empresários estão confiantes e, quando fica abaixo, que há insegurança quanto à economia. Em junho, as pequenas indústrias mostraram maior desconfiança, marcando 44,7 pontos. As médias registraram 46,7 pontos e as grandes, 48,8 pontos de confiança.

As perspectivas dos empresários para os próximos seis meses melhoraram. O indicador de expectativas em relação à situação das empresas e à economia subiu de 51,1 pontos, em junho, para 52,3 pontos em julho. A CNI considerou positivo o indicador ficar acima dos 50 pontos, já que, em julho de 2015, ele registrava 42 pontos.

Para o gerente executivo de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco, a recuperação da confiança dos empresários é “condição fundamental, mas insuficiente para reativação da atividade”.

Segundo Castelo Branco, “é preciso criar condições para que as expectativas se materializem na vida real”. Ele defendeu ajuste fiscal, reforma da Previdência, melhora no acesso ao crédito e maior prazo no recolhimento de impostos, com adequação dos tributos ao calendário de recebimento da indústria.
Edição: Nádia Franco

sábado, 2 de julho de 2016

Bandidos



MPF vai recorrer de prisão domiciliar concedida a presos da Operação Saqueador
  • 02/07/2016 12h33
  • Brasília




Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil
O Ministério Público Federal (MPF) informou que vai recorrer da decisão do desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, que concedeu prisão domiciliar para Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, Adir Assad, Marcelo Abbud, Cláudio Abreu e Fernando Cavendish. A decisão do magistrado foi tomada em segunda instância nessa sexta-feira (1º) e reverteu a prisão preventiva,  determinada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

"Vamos recorrer para tentar reverter essa decisão, que beira o abolicionismo penal, prisões domiciliares sem análise mais profunda e cuidadosa, num contexto de desvios de quase 400 milhões, soltura relâmpago", diz o procurador-chefe da procuradoria Regional da República, José Augusto Vagos, que atua junto ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região.

"[É] um desprestígio aos órgãos de persecussão que trabalharam duro para essa operação, gasto enorme de tempo e dinheiro para, sem maiores considerações e aprofundamentos, concederem-se prisões domiciliares em série", complementa. Ele diz ainda que foram mais de 20 denunciados, mas que o MPF teve o cuidado de pedir prisão de poucos, que representam risco à ordem pública.

Saiba Mais
Operação Saqueador
Os mandados de prisão foram expedidos no âmbito da Operação Saqueador da Polícia Federal, que rastreia esquema de desvio de verbas públicas e lavagem de dinheiro, no valor de R$ 370 milhões. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), os principais acusados são o empresário Fernando Cavendish, ex-dono empreiteira Delta Construção, e o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Além deles, foram denunciadas 21 pessoas – executivos, diretores, tesoureira e conselheiros da empreiteira, além de proprietários e contadores de empresas fantasmas, criadas por Carlinhos Cachoeira, Adir Assad e Marcelo Abbud.

Segundo o MPF, foram reastreados os pagamentos feitos pela Delta a empresas de fachada. Foi verificado ainda aumento dos valores dessas transferências em anos de eleições. Foram feitas transferências, por exemplo, de R$ 80 milhões para uma obra inexistente chamada Transposição do Rio Turvo, no Rio de Janeiro.

As empresas, que só existiam no papel, recebiam o dinheiro, mas não executaram o serviço. De acordo com o MPF, as empresas de Adir Assad e Marcelo Abbud emitiam notas frias não só para a Delta, mas para muitas outras empresas. Segundo as investigações, o esquema também serviu de suporte à corrupção na Petrobras.
Edição: Talita Cavalcante